Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

17
Jul 09

 

Grávidas e crianças são as últimas a receber vacina

Já está a ser preparada a campanha de vacinação para os grupos prioritários, apesar de a vacina só chegar em Dezembro ou Janeiro. Ontem, o Governo confirmou que as seis milhões de doses custarão 45 milhões de euros ao Estado, mas vão ser dadas gratuitamente

O Ministério da Saúde está já a planear a campanha de vacinação contra a gripe A, à procura da forma mais eficaz de distribuir a vacina pelos grupos prioritários. Crianças e grávidas só deverão ser imunizadas em Fevereiro, dois meses depois do resto da população, por razões de segurança, segundo explicou ontem o subdirector-geral da Saúde.

"São dois grupos de risco, mas antes de poderem tomar a vacina são necessários ensaios clínicos mais rigorosos", disse José Robalo ao DN. Ou seja, só depois de assegurar que a população saudável reage bem será possível imunizar estes grupos. José Robalo especificou ainda que a vacinação só é indicada para grávidas a partir do primeiro trimestre e para bebés com mais de seis meses. "Quando falamos de crianças, podemos estar a falar até aos 18 anos, ou abaixo dos dez, que tem sido um grupo muito afectado. Isso ainda não está ainda definido", acrescentou.

Certo é que será necessário lançar uma campanha para distribuir os três milhões de vacinas (seis milhões de doses) que o Governo já encomendou - e que vão custar 45 milhões de euros. "Vamos ter capacidade de vacinar gratuitamente todos os grupos considerados de risco", garantiu ontem a ministra da Saúde Ana Jorge, no Conselho de Ministros.

No entanto, há questões que ainda é preciso equacionar: "Se não recebermos as doses todas ao mesmo tempo, quem é vacinado primeiro, por exemplo. Os critério serão definidos e divulgados", garante José Robalo. Além disso, é necessário organizar a campanha para que a vacina seja dada às pessoas que precisam, nomeadamente os doentes crónicos.

No entanto, quando a vacina chegar - o que só deverá acontecer, "com segurança", em Dezembro ou no início do Janeiro, confirmou ontem Ana Jorge - um número significativo de portugueses já deverá ter contraído gripe A. No pior cenário, 25% da população pode ser infectada durante o Outono, prevêem as autoridades. Ou seja, seriam 2,5 milhões de pessoas que já não precisariam da vacina. "Esperamos que isso não aconteça, mas mesmo assim a vacina é importante para evitar a segunda onda de gripe, geralmente mais grave", explica José Robalo.

Ontem, foram identificados quatro novos doentes, elevando para 111 o total de casos de gripe A registados em Portugal desde Maio.

publicado por HF às 08:20
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos