O presidente do Instituto da Administração de Saúde e Assuntos Sociais da Mdeira, Maurício Melim, garantiu que "a criança e o adulto estão bem e já nem estão internados no Hospital dos Marmeleiros", uma das unidades de saúde do Funchal onde existe a valência de doenças infecciosas.

Maurício Melim adiantou que estes dois casos são pessoas que viajaram na passada semana para a Madeira e "recorreram ao serviço de saúde evidenciando um forte padrão epidemiológico".

"Foi recolhido material que foi enviado para o Instituto Nacional Ricardo Jorge, em Lisboa, que confirmou tratar-se de casos de Gripe A H1N1-2009",
acrescentou.

Na Madeira, foram registados até ao momento três casos de infecção.

Autarcas preocupados com chegada de imigrantes

As freguesias estão sensibilizadas para os riscos de contágio da gripe nas festas, romarias e bailaricos agendados para o Verão, apostando na lavagem das mãos como principal medida preventiva, segundo o presidente da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE).

Armando Vieira garantiu que "os cidadãos, mas principalmente os autarcas", estão sensibilizados para os riscos de contágio da gripe A H1N1.
Por esta razão, disse, a ANAFRE não tomou nenhuma iniciativa, acreditando que a informação é "a melhor arma" contra a infecção.

Nesse sentido, a ANAFRE tem informado as pessoas para a necessidade de reforçar as medidas de higiene, a qual "pode significar a diferença entre ter e não ter gripe", disse Armando Vieira.

Prevenção básica e informação

Vidros para separar funcionários de visitantes, desinfectantes de mãos e distribuição de informação são medidas de prevenção da Gripe A(H1N1) previstas para algumas das maiores festas populares do Verão, embora algumas organizações considerem não ser necessário tomar precauções.

Como autarca - presidente da Junta de Freguesia de Oliveirinha, no concelho de Aveiro - Armando Vieira anunciou que já tomou algumas medidas preventivas, tais como a aquisição de um stock de máscaras para "as escolas terem uma capacidade de resposta, em caso de necessidade".

Maiores preocupações têm em relação às grandes distâncias que terão de ser percorridas para possíveis casos chegarem às unidades de saúde.

Para esses casos, a ANAFRE disponibiliza "todo o apoio", de forma a que os casos suspeitos sejam devidamente identificados e tratados.

"A autarquia de proximidade é a freguesia, pelo que apelo a todos os colegas para o dever de defenderem a proximidade", com medidas como "o apoio no transporte para facilitar o acesso dos cidadãos aos locais de saúde", disse.

Com Lusa