Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

22
Jul 09

Lisboa, 22 Jul (Lusa) - Mais 13 casos de infecção pelo vírus da gripe A H1N1 foram detectados em Portugal ao longo das últimas 24 horas, de acordo com a informação divulgada pelo Ministério da Saúde.

Dos 13 novos casos, cinco têm origem em Londres: um homem de 25 anos referenciado pelo Hospital do Funchal, outro de 24 anos assistido pelo Hospital de Faro, duas crianças de um ano, acompanhados no Hospital Pediátrico de Coimbra e no Hospital de Dona Estefânia, respectivamente, e um menino de oito anos acompanhado pelo Hospital de Vila Real, de acordo com o comunicado hoje emitido.

Do Reino Unido, vieram ainda "uma menina de 10 anos, referenciada para o Hospital do Funchal, uma rapariga de 18 anos, seguida pelo Hospital Curry Cabral, em Lisboa, e um menino de cinco anos, assistido no Hospital de Dona Estefânia."

Dos Estados Unidos, chegaram duas raparigas de 11 anos e um rapaz de 14, acompanhados pelo Hospital Dona Estefânia, em Lisboa.

Também um homem de 66 anos (vigiado pelo Hospital de São João, no Porto), regressado do Brasil, e uma mulher de 20, chegada da Holanda e acompanhada pelo Centro de Saúde de Vila Franca do Campo, nos Açores, foram hoje diagnosticados com o vírus.

Estes 13 novos casos aumentam para 174 o número total de casos confirmados de gripe A em Portugal desde o início de Maio.

No entanto, as pessoas infectadas estão, na grande maioria dos casos, recuperadas, pelo que "têm vindo a retomar a sua vida diária, com normalidade", assegura o Ministério da Saúde.

Os Hospitais Curry Cabral e Dona Estefânia, em Lisboa, os Hospitais de São João e de Santo António, no Porto, os Hospitais da Universidade de Coimbra, o Hospital de Vila Real, o Pediátrico de Coimbra e o Hospital de Faro são actualmente considerados locais de referência para a Gripe A H1N1.

Em caso de suspeita de infecção pelo vírus H1N1, os cidadãos devem contactar a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) em vez de se deslocar a um hospital ou Centro de Saúde, a fim de evitar o contágio.

Como medidas de precaução, recomenda-se a lavagem frequente das mãos e protecção da boca e do nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel que deverá ser deitado fora de imediato.

NYD.

Lusa/fim

publicado por HF às 20:23
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos