Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

23
Jul 09

A ministra da Saúde classificou hoje de «contra-indicadas» as «festas da gripe», alegando o desconhecimento que ainda existe sobre o H1N1, principalmente por ser «um vírus novo».

Nas «festas da gripe», actualmente consideradas perigosas, participam pessoas infectadas com o vírus da gripe A H1N1 para infectarem outras que tentam, desta forma, adquirir imunidade ao vírus.

A existência destas «festas da gripe» tem sido noticiada em vários países europeus e nos Estados Unidos, principalmente através da Internet.

As primeiras notícias davam conta de que existiam razões científicas para estes eventos, nomeadamente a possibilidade das pessoas se infectarem enquanto a pandemia ainda não está muito grave e assim adquirirem imunidade.

Contudo, desde que as autoridades de saúde mundiais começaram a alertar para os perigos de contágio e para a necessidade de medidas de prevenção e protecção que estes eventos são considerados perigosos.

Um dos argumentos é o desconhecimento que ainda existe sobre o H1N1, principalmente por ser «um vírus novo», como explicou à Agência Lusa a ministra da Saúde, Ana Jorge.
 

As «festas da gripe» são «um procedimento que não deve ser adoptado», frisou, alertando: «Ainda não sabemos tudo sobre esta doença, embora pareça que tem sido benigna».

Ana Jorge reiterou a mensagem das autoridades de saúde que vão no sentido das pessoas seguirem as recomendações de evitar contágios através da sua protecção e da dos outros.

As «festas da gripe» são «contra-indicadas» e é preciso «muito cuidado com isso», concluiu a ministra da Saúde.

Não é conhecida, para já, a realização destas «festas da gripe» em Portugal.

 

Diário Digital / Lusa
 

 

publicado por HF às 14:36
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos