Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

28
Jul 09

Os portugueses na Argentina estão a tomar as precauções recomendadas pelas autoridades sanitárias contra a gripe A H1N1 e a viver o seu dia-a-dia normalmente, garantiu hoje António Canas, conselheiro das Comunidades Portuguesas (CCP).

 

"A nossa comunidade está totalmente inserida, fazendo parte do que é a comunidade argentina. Temos a mesma preocupação de todos no país (em relação à gripe A H1N1). No dia-a-dia, estamos a viver dentro da normalidade, mas com alguns cuidados, sobretudo aqueles que são transmitidos pelas autoridades sanitárias da Argentina", declarou à Agência Lusa António Canas.

"Somos uma comunidade pequena, entre 8 a 10 mil pessoas, conhecemo-nos uns aos outros e não tenho notícia de casos da gripe (A H1N1) entre os portugueses", referiu o conselheiro.

António Canas explicou que o país enfrenta agora o Inverno, mas não vê grande diferença entre a gripe A H1N1 em relação a outras doenças que actuam neste período do ano, sobretudo as que atacam os idosos.

"Dentro da comunidade, algumas festas e reuniões em clubes foram momentaneamente suspensas. Entretanto, eu vejo no dia-a-dia que estamos a retomar a vida normal (na sociedade argentina), os espectáculos públicos, por exemplo, estão a voltar à normalidade", garantiu o conselheiro.

"Penso que há um pouco de política e um pouco de querer fazer parecer mais do que realmente é esta pandemia", indicou Canas.

Também o primeiro secretário da embaixada portuguesa na Argentina, Bruno Paes Moreira, declarou não ter conhecimento de portugueses infectados pela gripe A H1N1.

"Houve uma certa preocupação, não só dos portugueses, mas de toda sociedade argentina no final de Junho e início de Julho, quando o número de mortes aumentou. Entretanto, neste momento, as pessoas já estão tranquilas", referiu à Lusa o diplomata.

Segundo Bruno Paes Moreira, "as pessoas estão informadas sobre a doença, seguem as instruções das autoridades de saúde da Argentina e levam a sua vida normalmente".

A Embaixada disponibiliza informações sobre a gripe A H1N1 no seu sítio online, indica entidades de saúde que podem ser procuradas no caso de suspeita de contágio e uma linha telefónica para informações.

"Estas informações são, sobretudo, para os portugueses que estão há pouco tempo na Argentina, como estudantes e quadros de empresas", indicou o diplomata, acrescentando que, no geral, "a comunidade portuguesa já está perfeitamente inserida na sociedade argentina".

A página electrónica da embaixada portuguesa solicita também que os cidadãos portugueses residentes na Argentina façam a actualização dos seus contactos junto da secção consular ou que procedam à sua inscrição no consulado.

O ministro da Saúde argentino, Juan Manzur, considerou que a epidemia de gripe A H1N1 começou a decrescer no país, estimando em até 35 por cento a redução das consultas, hospitalizações e casos críticos nas últimas semanas.

A Argentina é o país com o segundo maior número de mortes causadas pela gripe A - só ultrapassada pelos Estados Unidos, que já registou cerca de 300 mortes -, contabilizando 185 vítimas mortais e mais de três mil infectados pela doença.


Lusa

publicado por HF às 11:32
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos