Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

23
Set 09

 

Com letras compostas pelos professores ou retiradas da Internet, os estabelecimentos estão a usar a música como receita para  ensinar as crianças a evitar o vírus H1N1

 

Os alunos e pais da Escola Básica de São Bruno, em Caxias, começaram o ano ao som do "Rap da gripe A", uma canção composta pelos professores para informar sobre os riscos da pandemia. Vários colégios do País, como o Infantário Pinóquio, em Leiria, estão a apostar em músicas de rimas fáceis para ensinar as mais novos a evitar beijos e abraços. Uma preocupação reforçada porque as crianças e jovens são um dos grupos mais afectados pelo H1N1. Além disso, são mais descuidados, facilitando a transmissão do vírus entre si.

"Sem abraço, sem beijinhos, sem aperto de mão. Não é desprezo, é apenas protecção", diz a letra adoptada no infantário leiriense, tirada de uma campanha da Turma da Mônica (ver caixa). "Começámos o ano com uma palestra para os pais, mas para as crianças precisávamos de uma forma mais simples de passar a informação. As educadoras acabaram por tirar esta canção da Internet", explica Paula Lopes, assistente da direcção do infantário, que tem 115 crianças. "No dia seguinte alguns pais disseram-nos que quando se iam despedir dos filhos eles respondiam a cantar que não queriam beijinhos.

A produção de canções sobre a gripe A é uma das iniciativas previstas no projecto "Ler +, agir contra a Gripe", lançado pelos ministérios da Saúde e da Educação. O objectivo é conseguir envolver os alunos na prevenção da pandemia através de actividades feitas por eles - incluindo livros, blogues e cartazes.

Nas escolas do agrupamento de São Bruno, os professores compuseram um rap que foi apresentado (e cantado) em todas as sessões de recepção com alunos e pais. " É mais fácil interiorizarem a informação daquelas 10 quadras do que lerem 30 páginas do plano de contingência", explica a professora Isabel Lourenço, da direcção do agrupamento. "A letra é da autoria do professor José Lopes, que é um dos responsáveis pela biblioteca, e a música da professora Heleida Monteiro. Optámos por ser em rap porque é um ritmo que os miúdos gostam e aprendem bem".

Para o pediatra Gomes Pedro, a gripe A deve ser explicada aos mais novos a partir dos três anos, mas o ideal é tornar a prevenção um jogo, já que "a criança é sensível à vitória e ao sucesso". As canções são também uma forma eficaz de as crianças memorizarem informação, regras e comportamentos adequados.

Outra iniciativa prevista pelo Ministério é o desenvolvimento de livro digitais. O primeiro, com texto de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada e ilustrações de Nuno Feijão, chama-se "Nuno Escapa à gripe A". O segundo tem uma canção e até um teledisco. "Já sei que a gripe A chegou. Mas eu estou bem preparado: lavo mil vezes as mãos, a toda hora em todo o lado", diz o refrão da letra de Inês Pupo, disponível no site do Plano Nacional de Leitura.

Também a Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR) está preocupada com o possível impacto da gripe A no funcionamento das Comissões de Menores.

Por isso, numa mensagem enviada às 282 Comissões, o presidente Armando Leandro sugere que estas preparem planos de contingência que indiquem locais de funcionamento alternativos, lembrando que o serviço não pode fechar. A Comissão recomenda também que seja pedida ajuda aos municípios.

publicado por HF às 18:27
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos