Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal

26
Set 09

 

A direcção clínica do Hospital Curry Cabral (Lisboa) revelou que o homem que morreu naquela unidade foi vítima de uma pneumonia provocada pelo vírus da gripe A (H1N1).

 

O homem, de 49 anos, cuja identidade não foi confirmada pelos responsáveis hospitalares, estava internado desde 25 de Agosto e faleceu devido a uma pneumonia viral provocada pelo vírus H1N1, com falência multiorgânica, explicou a directora clínica do hospital, Conceição Loureiro, em conferência de imprensa.

Um pouco antes da conferência de imprensa da direcção clínica do hospital, o CDS-PP tinha informado sobre a morte do candidato à Câmara de Ourém Diogo Castelino Alvim, no Curry Cabral, onde estava internado após ter contraído gripe A (H1N1).

"O Dr. Diogo Alvim faleceu cerca das 13h00, no Hospital Curry Cabral, onde estava internado desde a última semana de Agosto, após ter contraído a gripe A (H1N1)", disse à Lusa candidato do CDS-PP à Assembleia Municipal de Ourém, Nuno Prazeres.

Conceição Loureiro adiantou que o homem que morreu apresentou, desde o primeiro dia de internamento, um "prognóstico muito reservado".

O director da Unidade de Cuidados Intensivos do Curry Cabral, Luís Mourão, esclareceu que a vítima, de 49 anos, não tinha nenhum outro problema de saúde.

"Este tipo de gripe - e não é só esta, também acontece com a gripe sazonal - pode dar quadros de pneumonias virais que podem ser muito graves", afirmou Luís Mourão.

Diogo Alvim terá sido "contaminado na comunidade" quando se encontrava de férias numa região balnear, precisou o clínico.

A outra doente internada no hospital, uma mulher de 32 anos que está no Curry Cabral desde 18 de Agosto, "registou uma franca melhoria", e deixou de ter ventilação assistida, acrescentou Conceição Loureiro.

Esta doente, que estava grávida quando contraiu a gripe, foi internada no hospital depois do parto. "Tenho informações de que o bebé está bem", disse Luís Mourão.

Desde o início do ano estiveram internados no Curry Cabral seis doentes infectados com H1N1, dos quais quatro tiveram alta.

A ministra da Saúde, Ana Jorge, disse aos jornalistas que "a ocorrência de mortes devido à infecção com o H1N1 é esperada" e considerou que as medidas que estão a ser tomadas são as adequadas e vão manter-se.

Na quarta-feira, um doente internado no Hospital de Santo António, no Porto, com o vírus A (H1N1) morreu com uma "infecção abdominal bacteriana e pneumonia".

No entanto, neste caso, a directora da unidade de cuidados intensivos polivalentes do Hospital de Santo António garantiu que o doente morreu com "infecção bacteriana" e não por infecção com o vírus da gripe A.


Lusa

 

publicado por HF às 23:28
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos