Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal
20
Set 09

Dakar - África registou oito mil casos de gripe A (H1N1), dos quais 46 falecimentos, anunciou quinta-feira o encarregado da Pequisa para a representação da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Senegal, Mang Coly.

 


Coly indicou que a África do Sul é um dos países do continente mais afectados pela doença, com cinco mil 877 casos e contaminações, seguida pela Tanzânia com 96 casos, pelas ilhas Maurícias com 69 casos e pelo Quénia com 85 casos.

 


Na África Ocidental, ele explicou que é Cabo Verde que regista o maior número de casos com 46 pessoas, que o Ghana possui dez casos e que a Côte d'Ivoire tem dois casos, sublinhando que a África Ocidental não registou por enquanto nenhum caso de falecimento devido a esta patologia.

 


A luta contra a gripe A deve basear-se em acções coordenadas de vários parceiros" estimou sublinhando que a participação activa das comunidades é necessária para atingir os objectivos da luta contra esta doença.

 


Falando da vacina, ela sublinhou que a OMS compromete-se a apoiar países em desenvolvimento que não disponham de meios suficientes para procurar estas vacinas que custam caro e se destinam em primeiro lugar ao pessoal de saúde, às mulheres grávidas e aos pessoais de segurança.

publicado por HF às 01:30
20
Set 09

O Centro para a Prevenção e o Controle de Doenças dos Estados Unidos anunciou, este sábado, que em outubro disponibilizará um primeiro lote de 3,4 milhões de vacinas contra a gripe A, sendo a maioria delas em formato de spray nasal.


 

'Quando a vacina estiver disponível, na primeira semana de outubro, iremos distribuir um carregamento inicial de pelo menos 3,4 milhões de doses, num total de 90 mil centros autorizados por todo o país', declarou Jay Butler, médico do centro, acrescentando que praticamente todas elas “sairão na forma de spray nasal, mas pode ser que tenhamos algumas doses em forma de injeção'.

O spray, chamado FluMist, só está aprovado para aplicação em indivíduos saudáveis com idades entre dois e 49 anosEsta limitação exclui parte da população considerada «de risco» pelo Departamento de Saúde norte-americano, como os bebés ou os maiores de 50 anos que sofrem de problemas respiratórios.

Os Estados Unidos são o único país que aprovou o spray nasal como método preventivo contra a gripe e, a partir de Outubro, este centro espera distribuir pelo menos 20 milhões de doses por semana.

Esta variante da vacina é elaborada com um vírus A (H1N1) vivo e enfraquecido, enquanto a injeção utiliza o mesmo vírus, só que morto.

publicado por HF às 01:28
20
Set 09

África foi o último continente atingido pela gripe A, mas a pouco e pouco o vírus vai-se espalhando pela região. Os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) não ficam imunes e esta semana foram anunciadas as duas primeiras mortes em Moçambique. O maior número de casos (52) regista-se, contudo, em Cabo Verde. Em Angola há para já 11 confirmações, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

As autoridades moçambicanas confirmaram ontem que um homem de 45 anos, que morreu a 4 de Setembro, tinha gripe A. Terça--feira, tinham revelado a morte de uma mulher de 29 anos, que padecia de uma doença crónica. No total, o país apresenta 27 casos positivos do vírus H1N1, de entre 71 suspeitos. Destes, 11 são crianças e 18 mulheres. Maputo, Tete e Sofala são as áreas atingidas, tendo o ministro da Saúde, Leonardo Chavane, admitido que pelo menos um caso é de contaminação já no país.

A despistagem dos casos é feita na África do Sul, país sem um laboratório qualificado, tendo as autoridades decidido seguir o conselho da OMS, que recomenda testes apenas nos casos das grávidas ou doentes graves. A organização, que já tinha disponibilizado 30 mil doses de Tamiflu para Moçambique, não afasta a possibilidade de reforçar as reservas. Já o Governo aplicou 25 mil euros no combate à gripe A. Contudo, segundo a Angop, apesar dos panfletos nos aeroportos e fronteiras, a informação é quase inexistente.

Em Angola, a situação é diferente. Desde que se registou o primeiro caso, em finais de Agosto, foi montada uma extensa campanha de informação. Em Cabo Verde, Santiago é a ilha com mais casos (45), seguindo-se Boavista (cinco), São Vicente e Maio (ambos com um). Os restantes PALOP - Guiné- -Bissau e São Tomé - ainda não registaram casos de gripe A.

publicado por HF às 01:27
19
Set 09

Serviços de saúde da Madeira vão ter a partir da próxima semana uma «declaração de compromisso»

 

Os serviços de saúde da Madeira vão ter a partir da próxima semana uma «declaração de compromisso» que vai ser assinada pelos doentes com o vírus da gripe A. Segundo a Lusa, o secretário regional dos Assuntos Sociais, Francisco Jardim Ramos, explica que se trata de «uma medida inovadora porque responsabiliza o cidadão e fá-lo tomar consciência do potencial transmissor que pode ele ser do vírus».

Francisco Jardim Ramos revela que a declaração de compromisso «é um documento que faz o doente afectado com gripe A assinar, visando consciencializá-lo para ter cuidados em não passar o vírus a outros concidadãos, sejam seus familiares, vizinhos ou companheiros de trabalho».

O secretário regional dos Assuntos Sociais sublinha que a declaração não estipula nenhuma penalização para o doente e tem apenas como objectivo evitar ao máximo o contágio.

 

publicado por HF às 01:08
18
Set 09

O Governo australiano aprovou hoje a utilização pública da sua nova vacina contra a gripe A (H1N1), que vai chegar à população ainda este mês, revelou a ministra da Saúde australiana, Nicola Roxon.

 

 

 

A gripe A, provocada pelo vírus H1N1, até agora infectou mais de 30.000 pessoas na Austrália e causou 172 mortes, disse a ministra durante uma conferência de imprensa.

O Governo decidiu adquirir 21 milhões de doses daquele fármaco, e o laboratório CSL já tem disponível cerca de 4 milhões de doses para distribuição à população durante a próxima semana.

"Os grupos prioritários para a vacinação são os técnicos de saúde e de assistência social, com contacto directo com os pacientes", acrescentou o ministra.

A Austrália é o país mais afectado pela doença na região da Ásia-Pacífico, e já se comprometeu a enviar 2,1 milhões de doses de vacina para as ilhas do Pacífico Sul, incluindo Timor-Leste.

Lusa

publicado por HF às 14:14
18
Set 09

Portugal e Alemanha são os únicos países europeus onde a gripe A ainda não matou. Duas excepções que já estão a ser estudadas pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças.

 

Em Portugal, foram diagnosticados mais 2 105 novos casos na última semana e 19 pessoas estão internadas.

Na semana entre 7 e 13 de Setembro foram diagnosticados em Portugal cerca de dois mil novos casos de gripe A, o que faz subir para pouco mais de 9.600 o número de casos registados no país, desde o aparecimento do novo vírus mas, até hoje, não houve qualquer caso mortal no país.

Com este ratio, Portugal desafia as previsões mais optimistas quanto à mortalidade da nova gripe.

Tal como Portugal, também a Alemanha, com mais de dez mil casos registados, continua sem vítimas mortais. São situações únicas na Europa e que estão a ser estudadas pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças.

Segundo os especialistas, a sorte e uma boa resposta dos serviços de saúde podem estar na origem desta situação. Conclusões mais aprofundadas só serão conhecidas mais tarde.

Para já, a principal prioridade das autoridades sanitárias é a prevenção da doença, enquanto se aguarda pela vacina, altura em que a Direcção-Geral de Saúde admite que a procura possa causar stresse nos serviços.

 

 

publicado por HF às 00:04
17
Set 09

A gripe A (H1N1) já matou no Brasil 899 pessoas, segundo o último balanço do Ministério da Saúde divulgado na quarta-feira. Nas últimas duas semanas, foram registadas 242 mortes relacionadas à doença, que se somaram aos 657 óbitos confirmados até o dia 25 de Agosto.

 

O Ministério esclareceu que o crescimento do número de mortes não se refere a casos novos, mas a resultados de exames divulgados somente nas últimas semanas.

São Paulo é o Estado com o maior número de mortes pela nova gripe (327), seguido pelo Paraná (222 mortes), Rio Grande do Sul (148) e Rio de Janeiro (84).

Desde 25 de Abril até ao último sábado, foram confirmados por exames laboratoriais 9249 casos da doença no país.

Segundo o Governo, o número de casos graves caiu pela quinta semana consecutiva e atingiu níveis 65 vezes menores que no início de Agosto, período de maior disseminação do vírus no Brasil.

Lusa

 

publicado por HF às 23:11
15
Set 09

Um grupo de especialistas reunidos em Lisboa, esta terça-feira, alertaram para os perigos de uma toma excessiva do antiviral contra a gripe A como profilaxia. Todos defenderam que o Tamiflu apenas deve ser tomado por quem pertence aos grupos de risco e tenha contactado com infectados com H1N1.

 

Etelvina Calé, da Direcção-Geral da Saúde (DGS), num encontro promovido pela Ordem dos Médicos, sublinhou a importância de uma racional administração dos medicamentos anti-virais disponíveis.

 

Também Francisco George, Director-geral de Saúde, Francisco George, garantiu que o medicamento tem demonstrado eficácia e que, actualmente, apenas dez doentes em todo o mundo apresentaram resistência a este fármaco.

 

No encontro estiveram presentes representantes dos colégios das especialidades que, prevê-se, sejam as que mais terão de lidar com a doença: medicina interna, pediatria, infecciologia, pneumologia, medicina geral e familiar e do trabalho.

publicado por HF às 14:35
15
Set 09

"Não vamos continuar a ter uma taxa de letalidade zero." É esta a convicção do director-geral da Saúde, Francisco George, sobre a evolução da pandemia de gripe A, infecção que o responsável estima que vá provocar mortes em Portugal e levar ao colapso de alguns serviços, designadamente os Cuidados Integrados, cujos meios e número de camas estão neste momento a ser alvo de um levantamento. 
 

"Vai haver excesso de procura para Cuidados Integrados. Vamos ter um stress", disse Francisco George, durante uma sessão de esclarecimento sobre a doença promovida pela Ordem dos Médicos, destinada a clínicos e aberta à Comunicação Social. Dessa sessão, a agência Lusa fez notícia às 16h07, referindo as palavras de Francisco George sobre a possibilidade de Portugal registar as primeiras mortes associadas à gripe. Um telefonema da Direcção-Geral da Saúde levou a que, 40 minutos depois, a notícia fosse anulada.

Francisco George traçou um quadro negro do que nos espera nos próximos dois anos, período que estima dure a crise pandémica. Além da ocorrência de mortes, referiu o aumento do número de casos em pessoas até aos 30 anos, sobretudo entre os 20 e 29, e nos grupos de risco já referenciados – obesos, asmáticos e grávidas. O director-geral da Saúde prevê "uma sobrecarga na área de Pediatria", referindo claramente: "As crianças no infantário são um problema e não temos ainda uma evidência sobre os benefícios de se encerrar as escolas."

 

ALERTA A FAMÍLIAS

 

Depois de elogiar a actuação dos serviços de saúde portugueses na contenção do vírus, Francisco George apelou à prevenção, sugerindo que os planos de contingência se centrem nas famílias. Para já, disse, "95% dos casos de gripe registados têm expressão clínica ligeira" mas "não nos podemos esquecer de que o vírus muda. Qual é o nosso trabalho, agora que não está a chover? É preciso identificar na família quem é asmático, quem tem diabetes, quem é obeso e dar indicação aos médicos de família de forma antecipada", sugeriu.

Ficou por esclarecer a dúvida da representante da especialidade de Medicina Geral e Familiar, que vinha do centro de saúde de Tavira. "Tivemos um Verão caótico. A medicação não é problema e o intercâmbio com o hospital é óptimo. O problema são os recursos humanos. O s médicos são poucos", disse Fátima Teixeira, que ficou sem resposta.

 

AGÊNCIA LUSA RETIRA NOTÍCIA SOBRE MORTES

 

A Lusa retirou ontem da rede uma peça que citava Francisco George a falar, num encontro com jornalistas, sobre a inevitabilidade de Portugal vir a ter casos mortais de gripe A. Ao CM, a editora de Sociedade da Lusa disse que a notícia foi retirada a pedido do director-Geral da Saúde. Já a autora da peça, a jornalista Sandra Moutinho, explicou: "Enviei o texto durante o encontro e só depois me apercebi de que a frase [ "não vamos continuar com uma taxa de letalidade de zero"] tinha sido dita em ‘off’". Mais tarde, a Lusa publicou novo take em que justificava: "Parte da notícia anulada baseava-se em declarações do director-geral de Saúde, Francisco George, que este invoca terem sido feitas em ‘off’."

 

MORTALIDADE ELEVADA ENTRE OS 25 E OS 49 ANOS

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou ontem que mais de metade das pessoas atingidas pelas formas mais graves do vírus da gripe A têm 20 anos ou menos. Na Austrália e nos Estados Unidos, por exemplo, a taxa de crianças entre os casos dos doentes mais gravemente atingidos pelo vírus foi a mais elevada.

A Organização Mundial de Saúde revelou ainda que a taxa de mortalidade é mais elevada nos grupos de pessoas entre os 25 e os 49 anos ou mais velhos, de acordo com as últimas estatísticas.

 

APONTAMENTOS

 

SIMPLEX

O programa informático usado para referenciar os casos de gripe A vai ser substituído por um mais simples.

MÉDICOS APRENDEM

Estiveram na sessão médicos de Medicina Interna, Pediatria, Medicina Geral e Familiar e do Trabalho, Infecciologia e Pneumologia.

GRIPE SAZONAL

Em 2001, Portugal registou um milhão de casos de gripe sazona. No último Inverno, tivemos 700 mil.

 

170 MIL EUROS PARA ANÚNCIO

 

No dia do debate entre José Sócrates e Manuela Ferreira Leite, a SIC colocou um anúncio publicitário da Direcção-Geral da Saúde (DGS) para promover o Programa de Saúde Oral, uma das bandeiras do executivo socialista, antes do início do frente-a-frente. Na estação de Carnaxide, o timing escolhido para a exibição desta publicidade institucional foi logo após o primeiro contacto com o estúdio onde se iria realizar o debate entre os dois candidatos a primeiro-ministro. Após o espaço de publicidade, arrancou o encontro entre José Sócrates e a líder do PSD.

A DGS explicou ao CM "ter sido pedido aos canais generalistas que a publicidade fosse inserida junto aos telejornais da noite, para ser vista pelo maior número de pessoas possível". Na RTP, o anúncio passou no intervalo do ‘Telejornal’, verificando-se o mesmo no "Jornal Nacional" da TVI. Nesse sábado, assinalava-se também o Dia Mundial da Saúde Oral, dia em que foram revelados os dados do Ministério da Saúde em relação aos cheques--dentista: 90 mil entregues a grávidas e idosos de Maio de 2008 a 31 de Agosto deste ano. "A primeira fase da campanha foi em Abril de 2008 e planeámos uma segunda fase para o arranque do ano lectivo. Adaptámos o texto para o regresso às aulas. A campanha decorre durante três semanas", acrescentou fonte da DGS, revelando que a campanha custou 170 mil euros.

 

GRIPE A VISTA À LUPA

 

7513 casos registados em Portugal, de acordo com os últimos dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.

DOENTE NA MESMA

O estado clínico de Renato Pedro, internado no Hospital de Faro, continua estável, de acordo com o pai do jovem, Daniel Pedro. Renato está em coma induzido.

6753

kits individuais de protecção vão ser distribuídos aos bombeiros de Lisboa. Nos próximos dias, serão entregues 1800 kits.

ESPANHÓS COMPRAM

As farmácias da fronteira minhota estão a receber muitos clientes galegos, à procura da vacina Tamiflu. Já na zona de Elvas, a procura centra-se nos produtos desinfectantes.

3205

mortes confirmadas pela Organização Mundial da Saúde, decorrentes da infecção com o vírus H1N1 da gripe A.

MORTES PELO MUNDO

Estados Unidos, Brasil e Argentina são os países com maior número de mortes com gripe A. Na Europa são Inglaterra, Espanha e França.

6 MILHÕES

de portugueses devem ser vacinados contra a gripe A, face à quantidade de vacinas encomendadas pelo Ministério.

 

NOTAS

 

MINISTRA: UMA DOSE DE VACINA

A ministra da Saúde, Ana Jorge, explicou que se se confirmar que apenas será necessária uma dose para a gripe A, os grupos de risco poderão ser alargados e a vacina poderá chegar a mais gente.

DOENTES: MAIORIA É JOVEM

Oitenta por cento dos infectados com o vírus da gripe em Portugal tem menos de 30 anos. Cinco por cento dos doentes corresponde a pessoas com mais de 50 anos.

HOSPITAIS: CONTENTORES À PORTA

A colocação de contentores em espaços exteriores às urgências dos hospitais é uma das medidas previstas para a crise pandémica. O director-geral da Saúde, porém, recusa dar pormenores.

Manuela Guerreiro/André Pereira/I.F./A.P.
publicado por HF às 14:09
15
Set 09

A vacina contra a gripe sazonal chega esta terça-feira às farmácias do País, existindo pedidos feitos há meses e muitas dúvidas sobre as diferenças entre a gripe comum e a causada pelo H1N1.

 

Em ano de pandemia de gripe, embora causada por um vírus novo (H1N1), os portugueses parecem estar mais cautelosos do que nunca, estando a crescer as listas de pedidos de reserva da vacina contra a gripe sazonal. Estes pedidos de reserva acontecem todos os anos, mas, em várias farmácias portuguesas, estão a chegar mais cedo que o habitual.

À Farmácia Líbia, em Lisboa, os pedidos começaram a chegar em Julho. Este estabelecimento conta já com mais de cem pedidos de vacina. Trata-se de doentes crónicos e idosos que, cada vez mais, e respondendo ao apelo das autoridades de saúde, se vacinam todos os anos.

 

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) elegeu como grupos prioritários da vacinação contra a gripe sazonal as pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, doentes crónicos e imunodeprimidos, com mais de seis meses de idade, profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados (lares de idosos, por exemplo).

Apesar de a DGS já ter afirmado, por várias vezes, que a vacina contra a gripe sazonal «não confere protecção contra o vírus da gripe A pandémica», existem ainda muitas pessoas que abordam os farmacêuticos na esperança de que a vacina que começa a ser vendida em Setembro também proteja contra o vírus H1N1. «As pessoas fazem muitas perguntas e querem saber se, ao vacinar-se contra a gripe sazonal, também ficam protegidas contra a gripe A», disse Sílvia Cid, farmacêutica na Farmácia Líbia.

 

A Farmácia Padrão, no Porto, tem uma lista de espera a crescer. Alguns doentes já deixaram a receita médica para garantir a compra deste produto, como contou Manuel Lopes, técnico nesta farmácia. Na Tábua, a Farmácia Quaresma também tem algumas vacinas pedidas. Os idosos e os doentes crónicos são os principais autores destes pedidos.

 

A Farmácia Palmeirim, em Almada, junta pedidos desde Agosto. Apesar de não notar grande diferença em relação ao ano passado, a técnica Solange Silva sabe que são os idosos e os doentes crónicos os mais preocupados em garantir a sua vacina. Em Évora, os pedidos aumentaram nos últimos dias. À Farmácia Paços já chegaram cerca de 30 pedidos, mas muitas mais perguntas e dúvidas sobre a pandemia, como sublinhou a farmacêutica Raquel Paços.

 

Na Farmácia Central, em Tavira, são 20 as vacinas encomendadas. Os pedidos começaram na semana passada, mas muito antes já os clientes manifestavam preocupações com a gripe pandémica, como disse o técnico Laurentino Coelho. «Explicamos o que é a gripe A e os procedimentos em relação ao medicamento (Oseltamivir), do qual não fazemos reservas», disse.

 

Para a época gripal 2009/2010, as receitas médicas com prescrição exclusiva de vacina contra a gripe, emitidas a partir de 1 de Setembro de 2009, são válidas até 31 de Dezembro do corrente ano. Em Portugal, são comercializadas sete vacinas contra a gripe para a época gripal 2009/2010. 


 

publicado por HF às 14:01
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos
subscrever feeds