Gripe A (H1N1)
Noticias sobre a evolução da Gripe A em Portugal
20
Set 09

África foi o último continente atingido pela gripe A, mas a pouco e pouco o vírus vai-se espalhando pela região. Os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) não ficam imunes e esta semana foram anunciadas as duas primeiras mortes em Moçambique. O maior número de casos (52) regista-se, contudo, em Cabo Verde. Em Angola há para já 11 confirmações, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

As autoridades moçambicanas confirmaram ontem que um homem de 45 anos, que morreu a 4 de Setembro, tinha gripe A. Terça--feira, tinham revelado a morte de uma mulher de 29 anos, que padecia de uma doença crónica. No total, o país apresenta 27 casos positivos do vírus H1N1, de entre 71 suspeitos. Destes, 11 são crianças e 18 mulheres. Maputo, Tete e Sofala são as áreas atingidas, tendo o ministro da Saúde, Leonardo Chavane, admitido que pelo menos um caso é de contaminação já no país.

A despistagem dos casos é feita na África do Sul, país sem um laboratório qualificado, tendo as autoridades decidido seguir o conselho da OMS, que recomenda testes apenas nos casos das grávidas ou doentes graves. A organização, que já tinha disponibilizado 30 mil doses de Tamiflu para Moçambique, não afasta a possibilidade de reforçar as reservas. Já o Governo aplicou 25 mil euros no combate à gripe A. Contudo, segundo a Angop, apesar dos panfletos nos aeroportos e fronteiras, a informação é quase inexistente.

Em Angola, a situação é diferente. Desde que se registou o primeiro caso, em finais de Agosto, foi montada uma extensa campanha de informação. Em Cabo Verde, Santiago é a ilha com mais casos (45), seguindo-se Boavista (cinco), São Vicente e Maio (ambos com um). Os restantes PALOP - Guiné- -Bissau e São Tomé - ainda não registaram casos de gripe A.

publicado por HF às 01:27
arquivos
pesquisar neste blog
 
arquivos